RSS

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

VIDA CALEIDOSCÓPICA


Como foi o exato momento em que a mutação aconteceu? Nem percebi qual foi o instante que deixei de ser menina e me tornei mulher!

Qual a fração de instante que de amar passei a somente gostar... E de somente admirar me ensandeci de amor?

Quando foi mesmo que passei a querer demais e sem a menor culpa deixei de me importar com o que pensam de mim?

Porque aquela lágrima presa se conformou com o cativeiro e se diluiu no meu rio interno sem nunca, se quer, ter chegado à margem? Covarde!

E quando foi mesmo que percebi que a teoria sem pratica, com golpes impiedosos, tira minha fé de tudo?

Que magia acontece nessas frações de tempo imperceptíveis... O sorriso muda, o olhar transforma... Perde-se a sensibilidade para alguma coisa e encontram-se novos motivos pra viver...

Com todo esse constante ritmo de novas formas e sabores, dentro desta intrigante vida caleidoscópica, confesso que consigo admirar minha capacidade de recriar e de me manter firme no meu compromisso original e imutável de ser feliz... Talvez por isso ela mesma, a vida, me presenteia quase que imerecidamente com muitas novas e novas chances.





4 comentários:

Dru disse...

Amiga, vc deveria escrever um livro. Sou sua fã.
BjOo

Stella disse...

Concordo com a Dru. Seus textos sempre bem sinceros, você consegue escrever do fundo da alma, e isso é visto por quem lê. Parabéns!

Lais Lima disse...

Vcs que merecem elogios por serem pacientes e interssadas em ler meus rascunhos rs Mas fico agradecida de qualquer forma e no dia que meu livro sair coloco o nome de vcs nos agradecimentos kkk obrigada pelo incentivo

Anônimo disse...

amiga, vc deveria escrever um livro (3) hehehe

ao texto...
e cada vez mais vai ganhar mais presentes.
e cada vez mais vai ver mais presentes em sua vida!!!
Tashi Delek!
ale milani (nao estou conseguindo colocar meu nome...rsrs)

Postar um comentário